Partir para Ficar | Viajantes que nos inspiram #1 💙

by Viagensa4
Partilhas
VIAJANTES QUE NOS INSPIRAM #1 | PARTIR PARA FICAR
Todos nós temos pessoas, projetos e ideais que nos apaixonam e inspiram, nesta rubrica vamos mostrar alguns dos nossos… – Viagensa4®
Partir para Ficar 💙 | Da Europa ao Extremo Oriente por Terra 

Olá… somos o Tiago e a Joana.

Dois viajantes que disseram aos seus amigos que queriam ir de Budapeste até ao Sudeste Asiático por terra. Todos nos disseram que era mais do que impossível…por isso durante os últimos nove meses andámos à boleia, fizemos couchsurfing e acampámos em 18 países diferentes.

Até onde? Nem nós sabemos!

Partir para Ficar © | Capadócia

O dia era 29 de Maio e marcava o momento em que fechávamos as mochilas e nos despedíamos das nossas vidas mundanas. Foram meses a planear, imaginar, poupar, e, principalmente, a sonhar.

A ideia?

Depois de Vasco da Gama ter descoberto o caminho marítimo, nós queríamos descobrir o nosso Caminho Terrestre Para a Índia. Quem sabe mais além.

Partir para Ficar © | Irão

Temos para nós que por mais magníficos que sejam os monumentos, ou por mais paradisíacas que as praias sejam, são as pessoas que fazem as viagens.

São os momentos com os locais que irão perdurar nas nossas mentes durante anos.

Partir para Ficar © | Taj Mahal

Esta intenção de ter um contacto estreito com a cultura de cada país moldou o nosso estilo de viagem: para que isso fosse possível decidimos andar sempre que pudéssemos à boleia, fazer Couchsurfing e tentar viver como os locais: irmos às tascas onde vão, afastarmos-nos dos centros turísticos, ouvirmos e aprendermos com velhos e novos, dormirmos nas casas de quem nos convida.

A bolha estéril hostel-monumentos na qual os turistas habitualmente se fecham não nos diz muito. Há melhor maneira de conhecer um país e as suas gentes que esta?

Partir para Ficar © | Paquistão

Partimos de Budapeste, onde decidimos que não iríamos apanhar qualquer voo nesta viagem.

Percorremos a Europa, o Cáucaso, o Médio Oriente (a melhor parte da viagem), até que chegamos à Índia.

Partir para Ficar © | Nasir-ol-Molk Mosque, Shiraz | Irão

Depois de 1 mês e meio neste país decidimos continuar.

Percorremos um inexplorado Bangladesh e um fascinante Myanmar, e seguimos pelo Sudeste Asiático.

Partir para Ficar © | Myanmar

Esta parte do globo deixou-nos sempre com uma sensação agridoce: as pessoas são sorridentes, mas é difícil conhece-las verdadeiramente.

É uma zona que preenche o imaginário de milhares de pessoas no que toca a viagens transformadoras, de auto-superação e de life changing, mas que – uma vez que nos autocarros, monumentos e hostels andamos invariavelmente rodeados de outros turistas – mais se assemelha a uma tour pela qual não pagamos e que pouco nos estimula.

São culturas históricas, vistas fantásticas, monumentos e pessoas incríveis, mas sejamos francos: é bem mais desafiante viajar nos Balcãs ou no Leste Europeu.

Partir para Ficar © | Tailândia


Partir para Ficar é uma frase da música FMI de José Mário Branco.

Não só nos revemos na constante análise de nós próprios e de tudo o que o rodeia, mas também na inconformidade, no não-alinhamento com muito do establishment.

Por outro lado, Partir para Ficar transmite-nos a sensação de viajar descompassadamente, sem correrias, com tempo para ficar nos lugares e com as pessoas que por nós passam.

Estas mesmas questões trouxeram-nos recentemente à Malásia e estamos muito expectantes para perceber até onde nos vão levar.

Partir para Ficar © | Kuala Lumpur

Como seguir esta aventura?

PARTIR PARA FICAR


Partir para Ficar © | Singapura

E a vocês, quem vos inspira?  Gostavam de os ver por aqui?

Se gostou deste artigo, partilhe!

Partilhas
0 comment

Também pode gostar